segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Asembléia e Sessão de Cinema

2 comentários:

Dalmo e Marilisa disse...

Mensagem de Natal para o(re) nascimento do Oficina

Meus amores,

Eu não cristão, mas não posso deixar de lamentar que a figura de Jesus, no natal, fosse substituída pela de Papai Noel. Como confiar numa figura que nasceu velha?

Quando criança acreditava em Papai Noel. Depois, cresci e não acreditei mais. Hoje, sei que existe e mora em Wall Street, além de ser o conselheiro principal da Fiesp e afins.

Quando criança acreditava em Jesus. Depois cresci e virei ateu. Hoje, sei que existe e morre todo dia, porque pode (re) nascer na utopia de que a memória humana não esquecerá que é humana.

Jesus é Garrincha. Papai Noel, a copa do mundo.

Garrincha, esse jesus-exu-moleque que vadiou pelos campos, hoje só entra no estádio se puder comprar ingressos que sobraram das mãos dos cambistas.

Fosse eu dono do mundo enchia todo o mundo de presentes. Pra mim, dar presentes é um ato egoísta. É um gozo pessoal inominável poder doar-me (sem pedir troca), àqueles que são a razão do meu afeto e ver-lhes a cara bonita.

Mais que trocar presentes, estamos numa época de dizer presente: eu estou aqui porque todos estamos aqui, e precisamos de nós, juntos.

Amamos vocês.

Evoé,

Dalmo e Marilisa.

Rapha disse...

Dalmo e Marilisa!
Quando eu crescer quero ser ateu como tu!
Beijo!

 
visitas